Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Centro Administrativo Fernando Ferrari - CAFF

História

A ideia de centralizar órgãos de administração num só complexo arquitetônico já estava sendo estudada desde 1956, com a construção de prédios ao redor da Praça da Matriz.

Em 1962, o prefeito de Porto Alegre, Loureiro da Silva, sancionou a lei que fixava o Centro Administrativo nas proximidades da Avenida Borges de Medeiros e Escola Técnica Parobé. Ao longo destes anos, muitos planos foram traçados, mas somente no dia 12 de julho de 1971, através do Decreto número 21.190, foi aprovado, pelo então governador Euclides Triches, o projeto para a criação do Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Sul (Caergs).

O relatório final do projeto foi entregue ao governador pelo secretário do Desenvolvimento Regional e Obras Públicas, engenheiro Jorge Englert. O projeto previa a seguinte estrutura: Palácio de despachos, Secretarias de Estado, Plataforma e acessos e Centro de Processamento de Dados. A área prevista para a construção foi de 128 mil metros quadrados e no dia 26 de dezembro de 1976 as obras tiveram início, no terreno que em área global perfaziam 201.215,00 metros quadrados.

Na época, a Companhia Estadual de Desenvolvimento Regional e Obras (Cedro) e a firma Knorr Construções Ltda. foram as responsáveis pela execução das obras juntamente com os arquitetos Charles René Hugaud, Ivanio Fontoura, Leopoldo Constanzo, entre outros.

Quanto aos objetivos, é importante salientar que o Centro Administrativo propiciou a concentração da maior parte das Secretarias de Estado em um mesmo prédio, facilitando os contatos mais rápidos entre os funcionários das secretarias e entre os próprios secretários.

A ocupação do prédio estava prevista para 1986, porém a inauguração foi possível, somente, em 10 de março de 1987.

Fernando Ferrari

Nascido em 14 de julho de 1921, em São Pedro do Sul, RS, neto de imigrantes, professor, contador, economista, sociólogo e advogado, Fernando Ferrari foi um dos mais ilustres e dedicados parlamentares que a história tem registro. Sua biografia identifica uma ascensão política vertiginosa, fruto da sua grande nobreza pessoal e enorme capacidade de trabalho.

Em 1946, aos 24 anos, Ferrari foi eleito deputado estadual, destacando-se como o mais entusiasta defensor da Nova Ordem Econômica e Social do Rio Grande do Sul. Seu mandato estadual encerrou em 1950, com sua eleição ao Legislativo federal cumprindo três mandatos sucessivos. No ano de 1958 obteve a maior votação em todo o território nacional.

Reconhecido como o parlamentar mais diligente e dedicado às questões sociais do trabalhador rural, em 1958, um numeroso grupo de estudantes e trabalhadores lançou-o como candidato a vice-presidência da República.

Faleceu em 25 de maio de 1963, aos 42 anos, em um acidente aéreo e a data de sua morte, é hoje dedicada ao trabalhador rural em homenagem ao seu mais ilustre protetor.

Com isso, o Centro Administrativo do Estado, antigamente conhecido como Caergs passou a ser chamado de Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), através da Lei nº 8.858 de 12 de julho de 1989. A iniciativa para esta homenagem foi proposta pela Fundação Fernando Ferrari, em lembrança ao movimento "Mãos Limpas" - uma forte oposição ao exagero burocrático e a toda e qualquer espécie de corrupção na Administração Pública.

Estacionamento

Fornecimento de selo para acesso aos estacionamentos:
Para a inclusão de novos servidores, o departamento administrativo da secretaria/órgão em que o servidor estiver lotado, deverá fazer a solicitação via ofício ou correspondência, endereçado ao Departamento de Administração do Caff (Dcaff), informando os seguintes dados: nome completo, cargo, matrícula ou RG, CPF, departamento/divisão, fone e ramal, celular, veículo, placa, cor.

Os servidores que já foram cadastrados receberão o selo diretamente dos departamentos administrativos de cada secretaria ou órgão.

O departamento administrativo de cada secretaria/órgão também deverá informar quando houver exonerações, aposentadorias ou transferências de servidores, recolhendo o selo do servidor e mandando-o junto com correspondência, que solicita a exclusão ou alteração do cadastro.

Cada secretaria/órgão possui um número limitado de vagas a ser utilizado no estacionamento coberto, sendo assim, ao se atingir o número máximo de vagas, novas solicitações, somente e mediante a exclusão de usuários que utilizem o coberto, para que a substituição seja efetuada.

Acesso e permanência de veículos nas áreas de estacionamento

Portões de acesso ao CAFF
Portão 1 - Avenida Borges de Medeiros, 1501.
Portão 2 - Rua Antônio Klinger Filho (ao lado da Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul  - Procergs).
Portão 3 - Avenida Augusto de Carvalho

Horários de acesso aos portões
Portão 1
7h às 8h - somente servidores.
8h às 18h30 - liberado para servidores, visitantes e prestadores de serviço.
18h30 às 19h30 - somente por pessoas identificadas pela Segurança do Caff.
19h30 às 7h - somente pessoas previamente autorizadas.

Portão 2
8h às 18h30 - liberado para servidores, visitantes e prestadores de serviços.
18h30 às 19h30 - somente pessoas identificadas pela segurança do Caff.
19h30 às 8h - acesso bloqueado.

Portão 3
7h30 - somente servidores.
8h às 18h30 - liberado para servidores, visitantes e prestadores de serviço.
18h30 às 19h30 - somente pessoas identificadas pela segurança do Caff.
19h30 às 8h - acesso bloqueado.

Acesso e permanência de servidores no Caff, fora do horário de expediente
Somente por solicitação prévia junto ao Dcaff, informando o(s) nome(s) do(s) servidor(es), secretaria/órgão, motivo, e o tempo de permanência.

Solicitação de Serviços
Divisão de Manutenção e Segurança (Dimas)

Auditório: solicitação junto ao Departamento de Administração do Caff (Dcaff), mediante correspondência, informando a data e o horário do evento.

Manutenção: por meio de ordem de serviço, endereçada ao protocolo da Dimas.

Telefonia: por meio de ordem de serviço, endereçada ao protocolo da Dimas.

Serviços Gráficos: solicitações de serviços gráficos deverão ser encaminhadas ao Dcaff.

Confecção de Mobiliário: Solicitações de serviços de marcenaria deverão ser encaminhadas ao Dcaff.

Escola de Educação Infantil do Caff

A escola disponibiliza vagas para 6 Turmas: Berçário I, Berçário II, Pré-maternal, Maternal, Jardim A e Jardim B, na faixa etária de 4 meses à 5 anos.

A proposta pedagógica, a filosofia, os objetivos e a metodologia de ensino são embasados em Lev Vigotsky, Jean Piaget, Paulo Freire e Philippe Perrenoud, cujo sujeito não é apenas ativo, mas interativo, porque constitui conhecimentos e se constitui a partir das relações interpessoais. É na troca com outros sujeitos e consigo próprio que internaliza o conhecimento, papéis e funções sociais o permitem a constituição da própria consciência. Este processo evolui do plano social (relações interpessoais) para o plano individual interno e intrapessoal. O sujeito do conhecimento de Lev Vogotsky, não é apenas passivo, é regulando por forças internas interativo.

A filosofia da escola pressupõe a visão de homem, mundo e universo, construindo uma escola onde as crianças e adultos possam pensar, refletir sobre o processo de construção do conhecimento, tendo acesso a novas informações, exercendo a cidadania, atuando na sociedade buscando relações éticas e solidárias.

A avaliação é expressa através de parecer descritivo bimestral, realizado com registros e observações diretas do professor, onde a família tem a devolução de como o educando está em seu aproveitamento, visando o desenvolvimento e o bem estar da criança para o acesso ao Ensino Fundamental.

Tem como meta desenvolver os seguintes objetivos:

- Oportunizar a criança condições que favoreçam o crescimento harmonioso dos aspectos afetivo, cognitivo e psicomotor;
- Desenvolver a percepção e capacidade de adaptação ao meio natural;
- Desempenhar atividades lúdicas que conduzam à aquisição de conhecimento científico, bem-estar físico, social, emocional e mental;
- Incentivar a responsabilidade social, criatividade e autoconfiança;

Nossa estratégia busca a construção da autonomia e da cooperação, onde o ser humano vive, age e convive em sociedade, apresentando planejamento adequado a cada faixa etária, buscando a integralização da criança através do desenvolvimento dos aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais de onde são originadas todas as atividades dos currículos de cada curso, desenvolvidos mês a mês.

Secretaria de Modernização Administrativa e dos Recursos humanos